18 julho 2009

Recíproca

O jantar começou em silêncio.
Ela estava séria, como sempre.
Ele sorria imaginando os efeitos da água sanitária na sopa dela.
Queria vê-la morrer um pouco a cada dia.
Mal sabia ele do vidro moído que sempre ingeria.
O amor acabou, mas a recíproca ainda era a mesma.
O jantar terminou em silêncio.
Isaac Ruy
Mais uma contribuição para o blog coletivo
Participe:
Leia
Escreva
Comente
Divulgue...

2 comentários: